Depois daqui de novo

no bebedouro seco estava um pássaro
tão úmido como o último orvalho
seu peito arfava em modo abiótico
olhava o espantalho além dos galhos
vivendo aquele sonho trajetório
o corpo abandonado pelo espírito
espiritualmente tão lunático
materializava tão perdido
na dimensão do incompreendido
sem bico, descaracterizado
será humano ou bicho recém-nascido?
a dúvida que antecede o ócio
no mundo onde o inesperado é óbvio.

2 glosas.:

Fabiano Che disse...

E em mundo onde o que parece óbvio é fantástico e inesperado?

corujinha disse...

Eu até tenho medo de conhecer o autor desse blog e o encanto deixar de ser.
O fato é esse: estou encantada, de verdade.
Comecei a ler e li mais e mais.
Será possível?