Sessão privada

Logo cedo, enquanto ouvia o estalido amarelo da urina se jogando sobre a porcelana do vaso sanitário, ele enfim havia descoberto o momento mais propício para breves reflexões pós-noite ou pré-dia. Hoje, para iniciar essa nova habilidade, pensou em qual profundidade teria uma fossa para acumular excrementos suficientes de uma vida de cem anos. A causa dessa cogitação foi uma visão nunca vista de uma fossa às tampas retribuindo todo o arsenal de odores, tonalidades e consistências fecais. Uma orgia de estercos que nos torna tão iguais e homogêneos. E lá dentro de si, ele sabia que esse seria um justo presente oferecido pela Terra aos humanos. Ênfase nos humanos. Porque vale salientar a importância de queimar algumas fezes animais com o escopo de repelir insetos.
Quão bom seria se todos os seus problemas fossem como as fezes: um simples puxar de corda ou um aperto de botão os solucionassem. Talvez sejam, contudo a pressão da água nunca é suficiente.
Numa sincronia, sua mente descansa e sua bexiga esvazia. Logo a água é trocada e o vaso está de “braços” abertos novamente à espera de outra sessão privada.

6 glosas.:

.Vale disse...

Extraordinário! Bela metáfora... Realmente seria muito bom se pudessemos com uma simples descarga "descartar" os problemas e enviá-los a uma fossa, e melhor ainda seria se tivessemos cada um sua própria fossa, para podermos jogá-los lá e írmos solucionando-os aos poucos, com o pensamento tranqüilo, pois não seria justo também abandoná-los para toda eternidade, até para uma evolução individual e "felicidade geral da nação", e o fato de descartarmos nossos problemas geraria um problema inevitável de uma dimensão que haja fossa para caber, rsrs.

dani.ella disse...

Quão bom seria ...

binhobrill disse...

Êta que banheiro tem dado muitas idéias. Essa foi a melhor que já li desenvolvida lá.
Já resolvi muitos problemas no banheiro, não só os fisiológicos, e, infelizmente, enquanto não se resolvem os problemas a fossa somos nós.

Resolva seus problemas.
Baixe a tampa.
E puxe a cordinha (prefiro a cordinha, sou demodê! rss).

O explorador disse...

Clap, clap... adorei cara.

É divertido ser pardal e ficar em cima dos fios olhando os homens sujos limpando as ruas de manhã cedo.

O explorador disse...

kkk, comentei no post errado... Mas que coisa!

O explorador disse...

Agora é pra esse post, esse comentário: rs

Por isso que somos todos viciados no cheiro do ralo.