O menino demente

Todo dia diferente é sempre igual àquela hora
Quando ele se debate, grita, morde e chora
A mãe injeta suas lágrimas e o remédio controlado
Agora ele volta a ser o menino que sonha acordado.

Em rabiscos repetitivos, vai desenhando seu mundo
A grade da janela, a mãe e seu desalento profundo
Amanhã ele se cansa e dá seu último sopro
Deixando a cama vazia, sem cor, sem corpo.

5 glosas.:

binhobrill disse...

...e o mundo perde mais um de mente.

Vanessa Gomes. disse...

Olhos arregalados e mão na boca.

O que dizer de textos assim?

"...e o mundo perde mais um de mente."[2]

Giuliano Marley disse...

Quer dizer que a mãe matou o humano-inato que havia dentro da criança, transformando-o num ser de cabresto, como 99,76% os humanos atuais?

Sim?
Então é lindo.

dani.ella disse...

bela construção e visão
sem mais delongas!

Babi Barretto disse...

Wuuu....como vc está profundo!!!
Curto e objetivo.Muito Bom.