Depois

era de manhã cedo
e como todas as outras
sempre havia aquele cheiro


de medo.

só depois de tatear o chão
era que se certificara
que tudo tinha razão

em vão.

logo mais no fim do dia
sonhava que amanhã
tudo de novo viria

ou não.

8 glosas.:

[P] disse...

Gostei! Simples, direto e, acima de tudo, real.

Beijo proc'cê.

ps: sobre teu comentário, sempre haverá segundas [e boas] intenções. eu só desejava um canto mais discreto, digamos assim. mas a maneira de escrever não muda, não sei fazer de outro jeito...

binhobrill disse...

Continua no mesmo pique, hein brother?!

Will disse...

iae xará!!!....

Fique à vontade para me add

Farei o mesmo...


Gostei da métrica desse poema... sou péssimo nisso e parabenizo quem consegue....

Logo menos, com mais calma leria mais aqui... abraço


*vou te add tbm

Will disse...

*lerei

dani.ella disse...

vem sim
sempre vem
tuuudo de novo ...


=)

Luciana Andrade disse...

Gostei do seu texto e do seu espaço!

Cristiano disse...

BOM PASSEAR POR AQUI NO FIM DO DIA, ESPERANDO ALGO..OU NÃO
RSSSS

Luuh disse...

muito bom :)